9.6.06

ERZGEILNAZIGOLDSTALL - Mamma Johnny - Jonathan Meese no Hamburger Deichtorhalle



O trabalho (sic) de Meese só se pode ver bem em conjunto; en masse. Erzgeilnazigoldstall é só uma das milhentas formações verbais construídas à volta da obsessão wagneriana, nazi, estalinista, sexual, escatológica do nosso amiguinho metaleiro nascido em Tóquio (1970) e quer dizer qualquer coisa como arce-fixe-estrebaria-ouro-nazi. A exposição é a retrospectiva de 10 anos de desregranço e pode-se ver no Deichtorhalle de Hamburgo até não sei quando (ver net.) A exposição desenvolve-se em salas construídas à volta de um anfiteatro onde se expõe em palco rotativo um cenário que realizou para Kokain. O cenário é uma estrutura em planta de cruz de ferro (ver imagem) dentro da qual se instalou uma espécie de bordel "dark" de onde se projectam diaporamas e vídeo. Erz Ich (archi-eu), Erzwagner (Arcewagner); a rotação do palco faz-se ao som do encantamento da sexta-feira santa do Parsifal e é difícil não fazer uma relação aqui com o filme de Syberberg.



Nas salas laterais o trabalho organiza-se em núcleos. Colaborações com Jörg Immendorf, Albert Oehlen e Daniel Richter; escultura. Num kasbah cor-de-rosa expõe trabalhos em colaboração com Tal-R. Numa torre logo à entrada controi um mausoleu-torre onde coloca os objectos do túmulo de Estaline. Em volta do palco involto em plástico negro pintado garrafalmente a branco podem-se observar pinturas de grande formato, trash quanto baste, na linha mais javarda da boa tradição alemã expressionista dos anos oitenta. Noutra sala expõem-se pinturas recentes (desenhos sobre tela com tinta) com as pinturas picassescas com que concorreu para ser admitido à kunstakademie de Hamburgo hà uns bons anos atrás.



Noutra sala ainda está a instalação com o qual chamou pela primeira vez a atenção internacional. Agindo sobre fotografias, ícones, linguagem; usando e abusando do ego, de figuras referentes reais como Noel Coward, Wagner, Hitler, Heidegger e imaginárias como Gott, Zardoz e Zatan, Meese encheu de tralha uns bons 2400 m2 de área coberta. É pelo esmagamento obsessivo, pela presença doentia do ego, pelos referentes performativos exibicionistas de tradição dadaísta, surreal ou futurista, pela Erzcontinuidade da violência romântica do expressionismo que Meese se torna espectáculo no melhor e no pior do termo. Brutal.

4 comentários:

daniel disse...

Protest!!

"Geil" means even more "horny". traduzido por portugues devia ser "tarado".

Entao o resultado é arce-tarada-estrebaria do ouro-nazi.

Oder?

Anónimo disse...

Pois. Ficaria então... A tarada estrebaria do ouro nazi. Ah a poiética!
Gringrikhan

Anónimo disse...

Erz quer dizer arce como em arcebispo ou Arc como em arcanjo, ou ultra... O ultraestábulo. Bonito.

Meese en Scéne

João disse...

Eu, por acaso, nem gosto muito de bolas de Berlin. Sou mais gajo para preferir rins.