31.5.06

Amigos de Strauss (VIII) Gustav Mahler

Admirador e rival. Tal foi a relação que Gustav Mahler, quatro anos mais velho, foi mantendo com Strauss desde que concorreram em 1884 para o posto de chefe de orquestra em Meiningen (um pequeno ducado que possuia uma das melhores orquestras sinfónicas da época), com Strauss a levar a melhor até à morte de Mahler em 1911. Só se conheceram pessoalmente em 1887 em Leipzig quando Strauss dirigia em Weimar no meio do fervor wagneriano. Entreajudaram-se mutuamente nas suas obras rivalizando mais no meio da direcção de orquestras. Mahler, referindo-se a Strauss afirmou que "ambos escavavam por diferentes túneis na mesma montanha". Em 1907 Mahler foi um dos mais ardentes defensores da ópera Salomé, o grande "escândalo" musical de Strauss. A sua impotência e consequente raiva por não ter conseguido que a obra fosse incorporada nos projectos da ópera estadual de Viena esteve na origem da sua demissão de director desta instituição. Os dois compositores afastavam-se porém; por esta altura Mahler não conseguia compreender como poderia o génio musical demonstrado em Salomé conviver com a natureza equívoca e ataques de oportunismo em Strauss.

2 comentários:

Ana disse...

Gosto bastante deste!!!

João disse...

Um domínio da luz, as cores, as texturas, as formas! Irrepreensivel! Genial! Brilhante! Mediano! Mediocre! Mau! Horrível!